sobre alguns álbuns de 2014, breves comentários

“LP1” – FKA twigs

por Matheus Carvalho

M - LP1

Desde que surgiu no cenário musical em 2012, FKA vem chamando a atenção do meio alternativo e dos críticos com uma sonoridade inédita que combina o artificial e o orgânico muito bem. Com seu álbum de estréia, a inglesa e dançarina Tahliah, conseguiu abranger de forma primorosa uma gama grande de sons e ruídos. A sua voz flutua melodicamente pela série de batidas e pelos sintetizadores pesados, equilibrando a sonoridade do álbum e as letras representam vários aspectos de um relacionamento, este podendo ser tanto com uma pessoa como com a indústria musical. O álbum também reflete a o envolvimento artístico de twigs, através claro de suas músicas, mas também através dos vídeos que contam com produções impecáveis e performances de dança, além da arte da capa e do encarte, desenvolvidas pelo designer Jesse Kanda.

Queen of the Clouds” – Tove Lo

por Matheus Carvalho

M - Queen of The Clouds

Hoje em dia a maioria das letras de músicas pop tem como tema principal os relacionamentos amorosos ou o amor em si. Queen of the Clouds da sueca Tove Lo (trocadilho entre o nome da cantora e o verbo em inglês “To Love”) não se diferencia nesse aspecto e sim na maneira como é executado. O álbum é separado em três partes: The Sex, The Love e The Pain (O Sexo, O Amor e A Dor) onde em cada uma dessas divisões é representada uma fase de um relacionamento. Outro destaque do álbum vai para as letras que além de serem bem explícitas em relação ao sentimento da cantora e compositora, são muito inteligentes, apresentando uma série de trocadilhos e viradas divertidos de se observar, tudo isto na voz rouca e extremamente agradável de ouvir de Tove.

“Vista Pro Mar” – SILVA

por Matheus Carvalho

M - Vista Pro Mar

Segundo disco de estúdio de SILVA, Vista Pro Mar é um registro de diversas paisagens e experiências, começou a ser concebido na Flórida ao som de diversas referências musicais, principalmente americanas, e foi concluído no final do verão passado em Portugal. O álbum tem uma relação muito forte com a praia, como o título já diz, e isso é perceptível através de samples com sons do mar, de gaivotas, e também através das letras e dos títulos das músicas como “Entardecer” e “Maré”. A sonoridade do álbum combina os sintetizadores e batidas eletrônicas com saxofones e trompetes, o que leva a outro forte do álbum, que é a total autonomia sobre o resultado final que o cantor exerce, uma vez que este produz e compõe todas as suas músicas com a ajuda eventual de seu irmão, oferecendo ao público um produto muito mais pessoal e sincero.

“Banda do Mar” – Banda do Mar

por Matheus Carvalho

M - Banda do Mar

A banda que se formou a partir de três projetos diferentes se caracteriza por uma sonoridade indie rock bem gostosa de ouvir. Os vocalistas trocam de acordo com as músicas, representando melhor as letras que variam bastante sendo mais por influência de Mallu Magalhães ou de Marcelo Camelo, ou até fruto do relacionamento dos dois que se extendem também aos campos criativos. Ainda sobre as letras podemos observar a presença de metáforas bem inteligentes como a de “Mais Ninguém” que supostamente é sobre um filho não desejado por Mallu, mas cobrado por pessoas ao seu redor. O álbum é bem coeso e como eu já disse, gostoso de se ouvir, já que são 45 minutos que não se percebe passar.

Nação Zumbi – Nação Zumbi

por Vinicius Oliveira

347791400004536

Desde 2007 sem lançar um álbum de estúdio, a banda de Manguebeat Nação Zumbi apresentou este ano seu mais novo trabalho, o álbum homônimo Nação Zumbi. O novo disco não é uma mudança radical no estilo da banda, mas apresenta novidades. A faixa ‘’ A Melhor Hora da Praia ’’, que conta com a participação de Marisa Monte, se distancia do punk da época de Chico Science ao experimentar a MBP da cantora. “ Um Sonho ” já segue mais a linha do pop rock e “ O Que Te Faz Rir”, que apresenta backing vocal feminino, se aproxima mais do reggae. As letras, que no geral falam sobre amor, também se diferem dos trabalhos anteriores, que não contavam com muitas letras românticas. As Risofloras estão em maior presença aqui. As canções que mais se assemelham com o Nação Zumbi do passado são as que encerram o álbum. “Foi de Amor”, “Cuidado” e “Pegando Fogo” apresentam o peso característico do Nação Zumbi, mostrando que a banda não abandonou a sonoridade de tempos mais antigos.

Project46: QUE SEJA FEITA A NOSSA VONTADE

por Allan Felipe

7898994343936_600

Como amante do Metal, acredito que a banda com o álbum: que seja feita a nossa vontade é sem duvida nenhuma um dos melhores álbuns que escutei em 2014, principalmente por ser acompanhar já há algum tempo o trabalho da banda. O novo álbum com a temática Brasil e suas manifestações é um álbum inflamado, letras extremamente imersas no cotidiano, uma das características fortes da banda. Acredito que a banda já conseguiu mudar bastante a cara do metal nacional e está mudando ainda mais com as letras em português e fáceis de entender. Destaque para a faixa “Erro +55”: se quiser entender um pouco mais sobre o Brasil e porque ele é do jeito que é, escute a musica que é absurdamente muito boa, e conta um pouco da parte do Brasil que mais existe nesse cenário de manifestações.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s