minutinho

vem descendo tão cromatic-insistentemente, que acha um pouso, dá um salto e começa de novo porque você não viu, não viu, não viu o que aconteceu. e assim, meio que num afobamento ritmado, cadenciado, e pleno. e serenamente, porque cada uma das síladas é ditas com clareza uma vez, baixo, e depois, eu canto uma oitava acima e ainda faço outra oitava pra dizer que você não me atendeEeEeEu

e ai cai devagar porque dizem que eu fiquei foi chorando. pausa. sorrindo.

cantando.

e eu repito as palavras, e o violão continua naquele mesmo jogo circular. e ele é aberto, ele swinga junto comigo. e ele faz zigue zagues de notinhas agudas e me embala nessa dança de densidade de tempo.

denso. você não sabe quanto vale cinto minutos na vida. e nem quantas eternidades cabem nesses 2minutos e 57de-aperto-no-peito-e-cantar-e-cantarolar…

e nem nunca nunca e nunca e nunca vai

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s